08/11/2014

No próximo frio, eu ferro *

"Vencedor do Edital Etnodoc 2011, o documentário mostram um pai e um filho que se comunicam por meio de um saber em extinção.
No sertão mineiro, as ferramentas e as palavras usadas na lida com a terra e a natureza reúnem saberes complexos e em extinção, preservados  na cabeça e nos gestos precisos de poucos homens, muitos já em idade avançada. Entre tais instrumentos estão superstições e habilidades técnicas, como a manufatura dos carros de boi, hoje praticada por poucos.
Em Morro da Garça, cidadezinha que foi cenário das andanças documentais e da ficção de Guimarães Rosa, há apenas um mestre: Seu Manoel Alexandre, de 87 anos. A técnica que aprendeu com o pai não fora repassada aos filhos, porque já não havia mais interesse pelos carros de boi e nem lugar para estes no sertão contemporâneo.
Um dos filhos de Seu Manoel, Giovani tem um estilo de vida urbano. Mecânico e professor, tenta preservar o legado de seu pai. Giovani encomendou o último carro de boi do Seu Manoel Alexandre, que vem tentando finalizá-lo há cerca de dois anos. Seu Manoel, no entanto, talvez lide com um tempo diferente: espera os tempos bons da madeira ser trabalhada e ferrada, e tem toda a paciência por saber que este pode ser um dos seus seu últimos feitos na vida.
Dirigido por Andre Fratti Costa, o documentário é vencedor do Etnodoc 2011, Edital de apoio a Documentários Etnográficos sobre Patrimônio Cultural Imaterial.Dirigido POR Andre Fratti Costa , o Documentário E Vencedor do Etnodoc 2011, Edital de Apoio a Documentários Etnográficos Sobre Patrimônio Imaterial Cultural .  

Título original: No Próximo frio, eu ferro Ano: 2013 Duração: 26 Minutos Formato: HD Produção: Olhar Periférico Filmes Realização: Associação Cultural de Amigos do Museu de Folclore Edison Carneiro, Centro Nacional de Folclore e Cultura Popular, IPHAN Patrocínio: Petrobras Apoio : TV Brasil

Direção e Roteiro: Andre Fratti Costa Produção: Tassia Quirino Direção de Fotografia: Matias Lancetti Som Direto: Silvio Cordeiro editor: Matias Lancetti Assistente de Direção: Isabella Neves Pesquisa Bibliográfica: Pedro Nakano, Marina Certain, Renata Mendes Ribeiro Música: Grupo guaina (Cantos de Carpina) "*


Caso queira ver o Trailer  "No Próximo frio, eu ferro", favor acessar o link abaixo:


* Matéria disponível: http://tvbrasil.ebc.com.br/etnodoc/episodio/no-proximo-frio-eu-ferro. Acessado em: 08/11/2014.

05/11/2014

Carros de boi ou carro de bois?


Nota de revisão que consta no livro (Festas de carros de boi) de  minha autoria:


O ICEIB ‒ Instituto Cultural de Escritores Independentes do Brasil, da qual é integrante o autor deste livro Rogério Corrêa, respeita a licença poética, e em vista do cerne daquilo que a compõe, a Literatura, sempre apoiará o uso de todas as variantes linguísticas nacionais, conforme seja o desejo manifestado pelo escritor de assim as expor em sua produção literária.

Desde o advento da Linguística no Brasil, como disciplina ensinada nas academias e mais recentemente em algumas escolas de ensino fundamental e médio, tornou-se comum procurar esclarecer às pessoas, acerca das enormidade de variantes linguísticas (falas regionais) existentes no Brasil e o respeito que se deve ter por elas, pois o essencial de uma língua é estabelecer comunicação. Uma vez que a comunicação se estabeleceu, os conceitos de “certo” e “errado” devem se sujeitar aos cuidados do bom senso, para evitar preconceitos linguísticos que culminem em preconceitos sociais.

Variantes linguísticas devem ser entendidas como componentes da nossa cultura e respeitadas dentro da fala. Todavia, não se pode admitir que o respeito à fala se sobreponha ao uso da Norma Padrão, especialmente em textos. A padronização da escrita evita muitas confusões de interpretação na leitura e uma “torre de babel” na Língua Portuguesa.
Neste livro trazemos como título um substantivo composto por justaposição carro de boi, escritos por aí de várias maneiras, principalmente com o boi no plural. Além disso, alguns estudiosos até defendem nomenclatura diferente para o termo. Tratar-se-ia de uma locução substantiva ‒ salve a controvérsia! E então vamos a mais uma: o formulário ortográfico de 1943 permitia que se grafasse com ou sem hífen aquela composição, mas o acordo de 1990 aboliu a divergência, fixando a grafia, sem o hífen.

 
Quanto ao substantivo composto carro de boi fazer o plural no segundo elemento, após a preposição, a regra diz: substantivos compostos, quando se trata de dois substantivos ligados por uma preposição clara, apenas o primeiro elemento vai para o plural.

Sobre isso, alguns dicionários definem:

Significado de carro-de-boi

Português
Substantivo
Carro-de-boi [sic] masculino (plural: carros-de-boi[sic])
1.  transporte rudimentar de madeira, com duas rodas, que se move sendo puxado por bois (Nossa Língua Portuguesa sd.).

O “Dicionário Aurélio” traz: “Substantivo masculino. Carro de boi. 1. Carro (1) movimentado ou puxado, em geral, por uma ou mais parelhas de bois, e guiado por carreiro.”

No site “Só Português”, e em qualquer boa Gramática da Língua portuguesa, é possível conferir a regra dos substantivos compostos. Em 2003 a Editora Itatiaia publicou o livro “Ciclo do Carro de Bois no Brasil”. O título usando a variante “carro de bois” deve ter sido licença poética ao autor Bernardino José de Souza.

Rogério Corrêa questionou, pleiteou o uso de qualquer uma das diversas variantes que encontrou, enquanto pesquisava para compor este livro. Mas, no fim das contas, deixou a critério desta revisora aplicar ou não a Norma Padrão. Apliquei-a.
 

Maria das D. D. de Sá de Amorim
26 de junho 2013.


04/11/2014

Os carros de boi cantaram em Córrego Fundo - MG *

No dia 25 de outubro de 2014 aconteceu o 1º Desfile de Carros de Boi de Córrego Fundo, que contou com a presença de 16 carros de boi .





*Informações extraídas de: http://www.ultimasnoticias.inf.br/. Acesso em: 04/11/2014.

Encontro de Carros de Boi de Tapira - MG - dia 9 de novembro de 2014 *

"No domingo dia 09 de novembro a Secretaria de Agricultura da Prefeitura Municipal de Tapira estará realizando durante a 1ª edição do Dia do Produtor Rural um encontro de carros de bois.

O Secretário de Agricultura Célio Sebastião de Souza explicou que a realização do encontro de carros de boi se dá pela sua história como o primeiro meio de transporte da região e pela sua importância nas nossas tradições.

"Nosso intuito é valorizar as nossas raízes investindo em ações como esta que regatam as nossas tradições. Eu, como muitos produtores rurais de Tapira, cresci trabalhando e vendo meu pai e avós diariamente lidarem com o carro de boi, pois naquela época era a única forma que existia para transportar a colheita" - explica Célio.
A Secretaria de Agricultura já está convidando todos os tradicionais carreiros do município e também está aberta a realizar inscrições de novos carreiros que desejem participar do evento.

A saída acontecerá na Fazenda Terra Branca, de propriedade do Sr. Pedro Tomaz Madruga, na região Antas, logo após um almoço que será servido por volta das 13h. A chegada está marcada para as 15h30 no Parque de Exposições Vantuir Gomes de Moura."


* Informações extraídas de: http://www.tapirateen.com.br/. Acesso em: 04/11.2014.

24/10/2014

Carreiros de Trindade - GO





Carreiros do Divino Pai Eterno




Mãos que trabalham com fé no Pai Eterno *


"Nesta quinta-feira, 23, o Programa Pai Eterno mostrou mais um dom e uma história de vida pautada na fé ao Divino Pai Eterno. O artesão Eugênio Santana de Oliveira foi o destaque do quadro Divina Arte. Há mais de 70 anos o devoto fabrica carros de boi, trabalho que ele aprendeu ainda na infância.  
“Eu tinha 12 anos e meu pai precisava de um carro para trabalhar e não tinha. Também não tinha quem fizesse. Aí nós fomos num fazedor de carros lá na Serra da Mantiqueira, na nascente do Rio São Francisco. Falamos com ele. E ele disse que não fazia mais, pois não estava mais enxergando bem, e o filho que teria que ajudá-lo estava com pouca força, e muito nervoso. Aí eu perguntei a ele se era difícil fazer carro de boi, ele disse que não, que era fácil e que a pessoa, tendo fé em Deus e boa vontade, conseguiria fazer, aprenderia rápido. Aí eu comecei a fazer carro e não parei mais, estou até hoje”, relatou.
Eugênio contou quais são os principais segredos para a construção de um caro de boi: “Primeiramente tem que saber o jeito de riscar. Se não souber riscar e cortar certo, quebra as madeiras e não consegue montar, principalmente a mesa, pois as peças são tortas e se não tiver carinho e cuidado com ela, elas quebram antes de montar. A roda seria mais fácil, mas se não souber o jeito de montar, não consegue”.
Veja também: 
O artesão falou sobre um carros especias que constrói: “Arrumamos uma madeira forte e fizemos esse carro deste tamanho, mas ele é mais para enfeite, é grande para colocar nos boi, ele é muito mais do que os boi. Aí não funciona, e ele também não cabe na estrada, na rodovia como os outros, ele é mais largo. Então, ele é só para enfeite”.
Para ele a força e disposição para o trabalho vêm da sua fé ao Pai Eterno: “Para trabalhar eu não sinto dificuldade nenhuma e nem má vontade. Trabalho de boa vontade e tenho coragem de levantar às 5h da manhã e começar as coisas. Vivo com a ajuda do Divino Pai Eterno e enquanto tiver vida eu acho que dá”, afirmou.
O Programa vai ao ar de segunda a sexta-feira, às 7h45, com reapresentação às 10h45. Você pode acompanhar todas as edições pelo Canal Pai Eterno, no YouTube, e também assistir pelo portal paieterno.com.br, na página do Programa Pai Eterno."*

Vídeo da matéria: http://youtu.be/OlWXfcqUF-w?list=UUumLnAQDlMZ_CVbuGNwkgBg



* Matéria extraída do Programa Pai Eterno. Disponível em:  http://www.paieterno.com.br/site/2014/10/23/maos-que-trabalham-com-fe-no-pai-eterno/ . Acessado em: 24/10/2014.

16/10/2014

A grande promessa - publicação em Jornal


Carreteada de Tabaí - RS

Amanhã dia 17 de outubro de 2014 (sexta-feira) terá início os eventos da 7ª Carreteada de Tabaí-RS. Haverá apresentações de grupos locais, com jantar para os carreteiros. No sábado, por volta das 7h, inicia a carreteada que percorrerá ruas do município. Está prevista a participação de 150 carretas de boi.*



* Informação extraída de: O Fato Novo Em: 16/10/14.

14/10/2014

Festa do Boi de Parnamirim - RN


Desfile de Carros de Boi de Ibitiúra de Minas - MG *

"Foi realizado na tarde deste domingo dia 12 de outubro o tradicional  desfile de carros de boi de Ibitiúra de Minas, o desfile que como sempre resgata a tradição do homem do campo , assim como os demais anos foi um grande sucesso a praça municipal de Ibitiúra de minas ficou lotada de pessoas e famílias que vieram prestigiar carreiros de diversas partes da região que vieram abrilhantar o evento com seus belíssimos carros e animais .                                                                          A tradição do carreiro já é antiga e com este evento que vem sendo realizado já a anos em Ibitiúra visa cada dia mais resgatar ainda mais esta tradição que vem sendo esquecida com o passar dos anos , Ibitiúra de Minas já vem se tornando pioneiro neste tipo de evento e a cada ano que passa o desfile ganhando ainda mais forças com mais participantes e comitivas que tem um grande prazer em poder estar em nossa cidade fazendo parte desde momento especial que acima de tudo é manter viva a lama do homem do campo ."*






 Matéria e fotos extraída do Jornal Ibitiúra de Minas . Acessado em: 14/10/14.

13/10/2014

Publicação de causo em jornal


Você sabe como surgiu a expressão popular dos mineiros UÁI?


Sorteio e resenha do livro Festas de Carros de Boi realizado pelo Cultura Caipira Blog

Sorteio e resenha do livro "Festas de Carros de Boi" no Cultura Caipira Blog.

"Olá pessoal! O dia 11 de Outubro é uma data especial para o Cultura Caipira Blog: marca o início de uma nova etapa do site, mais especificamente em 2012, com nova identidade visual, domínio e servidor próprio. Este ano não poderia ser diferente… semana passada, fizemos a estreia da nossa loja virtual, com adesivos, camisetas e canecas com a nossa marca. Tem até uma viola praticamente nova à venda! Convidamos todos vocês a conhecerem a loja do Cultura Caipira Blog e aproveitarem nossos preços de inauguração.
O motivo de escolhermos a data de 11 de Outubro é que ela é uma data muito significativa aqui em nosso estado natal, o Mato Grosso do Sul. Foi nesta data, há 37 anos, que o então uno estado do Mato Grosso foi dividido em duas partes, dando origem ao seu estado irmão no ano de 1977.  Todos os anos fazemos uma homenagem à data. Vamos relembrar?


Este ano, vamos fazer algo diferente: o sorteio e resenha do livro Festas de Carros de Boi, de Rogério Corrêa, obra que tem tudo a ver com a música e a cultura caipira que tanto gostamos. Conheci o autor através das redes sociais, que me levaram ao seu site, Festas de Carros de Boi. Ali descobri muita coisa interessante sobre o universo do carro de boi, e o quanto esta rica cultura brasileira está viva pelo interior de nosso país. Também através do site descobri seu livro, e hoje temos a oportunidade de adicioná-lo à nossa Biblioteca Caipira. Espiem a resenha:
Festas de Carros de Boi, livro do autor Rogério Corrêa, lançado pela Editora VirtualBooks, 2013, é uma homenagem àqueles que lutam para manter a tradição dos
http://www.carrosdeboi.com.br/
carros de boi.
O autor descreve para relembrar a sociedade o valor que os carros de boi tiveram e ainda têm, para salvar do esquecimento essa tradição que foi vital à sobrevivência de tantas comunidades, e preencher o vazio de conteúdo científico sobre os carros de boi.
Rogério Corrêa mergulha na história, na cultura de um povo, e com riqueza de detalhes e fotografias, mostra o porquê das Festas de Carros de Boi fazerem parte do calendário cívico de muitas cidades brasileiras.
O livro é estruturado em seções com textos curtos e temas variados apresentados com uma linguagem clara e direta, vários recursos são utilizados pelo autor, como a gravura, a fotografia e entrevistas.
O autor começa o livro descrevendo as festividades de carros de boi, especificamente a de Vazante, MG, a tradicional e maior do mundo da qual participou.
A obra fornece informações históricas reportando-se a esclarecimentos mais distantes sempre que necessário. O leitor pode encontrar também informações sobre as peças e acessórios que compõem os carros de bois com exposição de cada detalhe, descrição de outros componentes, culinária mineira, superstições e crendices, etc.
Desta forma, por paixão ou curiosidade, o livro é de grande auxílio para aqueles que buscam orientação sobre qualquer aspecto ou desejam participar das festas de carros de boi.
O autor, Rogério Corrêa, é filósofo e membro da diretoria do ICEIB, que busca promover a cultura das letras. Possui várias publicações em revistas, jornais, sites e também autor do livro Reflexões Filosóficas (2012).
Depois de ler o livro, certamente terei que relê-lo: são muitos detalhes, causos, histórias, e com certeza ele será fonte de consulta para futuras postagens aqui no Cultura Caipira Blog. E claro, sua leitura deixou cada vez mais forte minha vontade de ir até uma das festas de carros de boi ali descritas, documentar e participar com as pessoas dos festejos, ouvir seus causos e histórias, apreciar as comidas típicas, e principalmente, acompanhar o a procissão dos carros de boi sertão adentro!
Se ficaram com vontade de ler e apreciar esta obra, o Cultura Caipira Blog está realizando o sorteio do livro Festas de Carros de Boi, de Rogério Corrêa! Para participar é muito simples: basta seguir e acompanhar nossa página no Facebook e / ou nosso perfil no Instagram. No dia 11 de Outubro de 2014 saem duas postagens indicando como participar do sorteio e ganhar o livro. Se você quiser dobrar suas chances, participe nas duas redes sociais :).
Para quem quiser adquirir o livro Festas de Carros de Boi, acessem o site de Rogério Corrêa e façam seu pedido. O leitores mais modernos podem inclusive comprar a versão digital do livro.
Gostaria de agradecer o autor pela parceria com o Cultura Caipira Blog e que continuemos juntos na luta por manter e divulgar a riquíssima cultura caipira brasileira! Agradeço também à nossa resenhista por mais uma contribuição valorosa para este site. Espero que tenham gostado, e até a próxima."

11/10/2014

O Último Carro de Boi

O amigo Manoel Borges da Silveira nos presenteou com um belo artigo de sua autoria (Um carro de boi) juntamente com o filme  (O último carro de boi).  Conforme abaixo:




O ÚLTIMO CARRO DE BOI


(o filme é recente. Texto publicado como artigo de fundo, no antigo Lavoura e Comércio, jornal de Uberaba em abril de 1993, tempo que Rui Novais era um dos gerentes do periódico.
Antes da publicação deste artigo o carro encontrava-se na fazenda de João Otaviano, perto de Perdizinha. O autor do artigo soubera que este fora fabricado por seu pai, Antônio Borges da Silveira, (família de 12 filhos), carapina deste lugarejo de 50 casas, município de Perdizes.  Hoje na Fazenda Pão de Açúcar, saída de Araxá – MG para a capital Belo Horizonte. Foi gravada a cantiga deste carro.

De Manoel Borges da Silveira:        
UM CARRO DE BOI
Ainda me lembro... E hoje, mais forte, me lembro do último carro de boi feito na Perdizinha. Nem é certo que seja o último e também que o carapina fosse o único. Não interessa a precisão do fato, interessa a lembrança infinita de um tempo que se foi, o tempo do carro de boi.
Para carga mais nobre e viagem de capital, passava a “Maria fumaça”, Rede Mineira Viação, atravessando o chapadão, jogando faísca. Apitava na curva e vinha firma, persistente. Todos contentes, afinal chegava apesar do atraso, na pacata estação das Alpercatas. Terminavam as conversas, se não houvesse conversa o tempo não passava.
O carro de boi também passava e às vezes até com seis juntas de bois. Passava e cantava e o carreiro aboiava e gritava: “Vai pra frente candeeiro... Volta Malhado, afasta Pintado”. O ferrão cutucava, os bois se alinhavam e o carro ia se afastando numa toada comprida até ganhar o espigão rumo a fazenda.
Hoje, o que resta? Fazenda, triste tapera. Currais, porteiras arreadas, cocheiras destelhadas. O que mais resta? Resta o último carro de boi. Foi deixado numa “meia água”, inútil, desamparado de uma cultura sem memória. Se não último, dos últimos. Feito com trabalho de trinta dias pelo também último carapina da Perdizinha, o mestre no assunto de carro de boi: Antonio Borges da Silveira, o conhecido pelo nome de Antônio Mizael. Restam ainda, a saudade no coração e as lágrimas nos olhos. Tempos de minha infância que não voltam, nunca mais! 

Festas de carros de boi combina com costelão



09/10/2014