29 de novembro de 2016

Os carros de boi cantaram na 8ª Festa do Carro de Boi de Cururupu - MA


Governo apoia a 8ª Festa do ‘Carro de Boi’ de Cururupu

"Quilombolas de várias comunidades rurais de Cururupu se encontraram neste fim de semana em mais uma tradicional ‘Festa do carro de boi’, atividade festiva promovida pelo Instituto Negro Cosme e Associação da comunidade Rio das Pedras, entidades da sociedade civil daquele município.

A festa envolveu famílias das comunidades que usam o seu carro com a parelha de dois bois para o trabalho diário e também para transportar os produtos da agricultura familiar para vender na feira da cidade. Uma vez por ano reúnem-se para o festejo que movimenta a cidade.

A festa tem o seu ponto de partida com a missa celebrada na Igreja de São Benedito no sábado à noite, onde familiares, moradores e turistas participam da celebração com cantos e coreografia afros. Após a celebração, segue na praça da igreja o festejo com reggae e tendas com venda de comidas e bebidas.

Na manhã de domingo os carreiros, como são chamados os condutores dos carros de boi, reúnem-se em dois locais para iniciar o cortejo pelas ruas da cidade. Este ano, mais de 100 caros de bois participaram do evento.
 
Mais do que instrumento de trabalho e transporte, para os quilombolas de Cururupu os carros de bois fazem parte de uma forte tradição. Assim, o quilombola Francisco Sales Serra, morador da comunidade Cedro, contou sua relação com os animais: “Desde minha mocidade uso o carro de boi pra trabalhar e vender os produtos da roça. Não aprendi leitura nem escrever, só roçar e trabalhar; só quando eu morrer eu deixo o carro de boi”.

Para Gerson Pinheiro, secretário de igualdade racial, a festa é uma manifestação cultural dos quilombolas que precisa ser mantida e apoiada. “Os carros de boi são parte da história do povo negro do Maranhão e mais do que instrumentos de trabalho, são uma tradição que deve ser festejada e incentivada para que se preserve as memórias do povo quilombola dessa região”, comentou.

“Estamos aqui inclusive com a secretária Laurinda para demonstrar que o governo do Estado respeita essas manifestações e tem a responsabilidade também de preservá-las”, frisou Pinheiro.

A secretária de Estado da Mulher, Laurinda Pinto, que participou da festa pela primeira vez, também relata sua importância. “Esta festa é um patrimônio cultural das comunidades que retrata a história de homens e mulheres negros e negras e é também uma forma de celebrar sua cultura que deve ser fortalecida e apoiadapor todos os poderes para que se possa garantir e manter essa tradição”. 

A secretária Laurinda explicou também que sua equipe está em Cururupu e cidades vizinhas com o Ônibus Lilás fazendo atendimentos especializado à mulheres em situação de violência  da região e com palestras e campanhas educativas.

Paralelo ao desfile de carros de boi aconteceu a feira da agricultura familiar, onde os quilombolas comercializavam produtos da roça, como farinha, mandioca, verduras, conservas de pimentas e frutas. A lavradora Fátima Silva Barbosa, moradora da comunidade Condurus, conta como a festa ajuda na renda familiar “Essa festa é muito importante pra nós porque também nos ajuda com uma renda extra com a venda de nossos produtos e também mostra nossa cultura pra cidade e pros visitantes”.

Participando também do evento, o deputado Bira do Pindaré comentou a importância da festa. “A festa de carro de boi de Cururupu tem tradição e originalidade e representa as comunidades quilombolas numa região onde a presença de negros é muito forte. Estamos aqui para fortalecer e ajudar a manter essa tradição como uma referência da cultura maranhense, da nossa identidade e resistência”.

O ponto alto do cortejo de carros de boi é o encontro dos carreiros em frente à Igreja de São Sebastião na manhã de domingo, onde numerosa multidão se aglomera para prestigiar o desfile e os condutores dos carros são premiados com um certificado de participação e uma placa comemorativa.

Este ano houve uma premiação especial para os secretários de Estado Gerson Pinheiro e Laurinda Pinto, para o deputado Bira do Pindaré e para a prefeita eleita, professora Rosinha, que figuraram como apoiadores e incentivadores da festa.

Fotos/Divulgação                                               

Foto 1 – Lavradora Fátima Silva Barbosa vendendo seus produtos na feira da festa do carro de boi em Cururupu
Foto 2 – Quilombola Francisco Sales Serra conduzindo sua parelha de bois na festa do Carro de Boi de Cururupu
Foto 3 – Secretário Gerson Pinheiro e Laurinda Pinto, deputado Bira do Pindaré e prefeita eleita professora Rosinha recebem premiação como apoiadores da festa do carro de boi
Foto 4 – Secretário Gerson Pinheiro entrega certificado e placa comemorativa a carreiro na festa do carro de boi em Cururupu
Foto 5 – Secretários Gerson Pinheiro e Laurinda Pinto participam da festa do carro de boi em Cururupu"
Fonte: Seir*
28/11/16

*Matéria recebida de:
MATEUS COSTA MAGALHÃES

Moda de viola em Vazante - MG

Moda de viola na casa do Antônio Corrêa em Vazante - MG.
Composição de Dona Otávia e muito bem interpretada pelos parentes.


Acesse um dos links abaixo e conheça algumas de  nossas obras:

Livraria AMAZON

16 de novembro de 2016

21 de outubro de 2016

Bienal Brasil do Livro e da Leitura de Brasília

Não perca essa oportunidade e marque presença na Bienal Brasil do Livro e da Leitura de Brasília.


Temos participado ativamente de eventos culturais e de literatura.

Acesse uma das livrarias abaixo e conheça alguns de nossos trabalhos:


20 de outubro de 2016

O livro Festas de Carros de Boi, do escritor Rogério Corrêa é referência nacional

Alguns anos atrás comecei a pesquisar as festividades de carros de boi e em julho de 2013, foi publicado o livro “Festas de Carros de Boi” pela Editora Virtual Books e no mês de maio de 2014 foi lançada a sua 2ª edição pela Editora ICEIB, na versão digital.  Na época já sabia que seria algo diferente, pois são escanças publicações quanto ao tema. No entanto, não sabia que faria tanto sucesso e que se tornaria referência para muitos trabalhos divulgados em jornais, revistas, sites e imprensa.

A cada citação que tomo conhecimento fico extremamente feliz, pois Festas de Carros de Boi tem alcançado o seu objetivo e de certa forma contribuído com a história da humanidade. Especialmente aquelas citações feitas por universitários, mestres e doutores em revistas especializadas. Conforme artigo “A mandioca e os carros de boi: ruralidades de uma Ilha ao Sul do Brasil”, publicado na Revista Catarinense de História, de autoria de Giovana Callado Ferreira - (doutoranda do Programa de Pós Graduação em História da Universidade Federal de Santa Catarina) e do professor João Klug da Universidade Federal de Santa Catarina - (doutorado em História Social pela Universidade de São Paulo (1997), Pós-Doutorado na Universidade Livre de Berlim (2003-2004) e Pós-Doutorado na Universidade Livre de Berlim (2012-2013).

Dados bibliográficos do artigo:

FERREIRA, Giovana Callado & KLUG, João. A mandioca e os carros de boi: ruralidades de uma Ilha ao Sul do Brasil. In: Revista Catarinense de História, Florianópolis, n.23, p.180-197, 2014.  

Acesse um dos links abaixo e conheça algumas de  nossas obras:

Livraria AMAZON

Inauguração do Museu do Carro de Boi Quim Costa, em São Bento do Sapucaí - SP

"Museu do Carro de Boi será inaugurado na próxima semana

Construído em homenagem ao Quim Costa, o espaço tem o objetivo de preservar sua produção de carros de boi e de ferramentas
postado por jornalismo em   19/10/2016
ok3
Sr. Joaquim Costa, que por toda sua vida se dedicou a construção dos carros de boi. Foto: Arquivo pessoal
Na próxima quinta-feira, 27 de outubro, às 19h, acontece a inauguração do Museu do Carro de Boi Quim Costa, localizado na Estrada Jandyra da Silva Costa, 234, perto do Restaurante Trincheira, no bairro do Quilombo.
Construído em homenagem ao Mestre Regional do Carro de Boi, Sr. Joaquim Pereira da Costa, o Quim Costa, falecido em 2014, o Museu tem o objetivo de preservar sua produção de carros de boi e de ferramentas. Além das peças físicas, o espaço conta com um acervo midiático visual e sonoro proveniente de doações e oferecerá oficinais, passeios e visitas guiadas, entre outras atividades.
Localizado na propriedade de uma das filhas do Sr. Joaquim Costa, Maria Bernadete da Costa Prado, o Museu foi construído com recursos dos familiares e organizado em espaços distintos para conservar o acervo. De acordo com Maria Bernadete, a construção do museu era um desejo do Sr. Joaquim, que teve seu trabalho divulgado em diversas publicações, como a Revista Brasileiros. “Ele sempre soube do valor do seu trabalho e sabia que a construção de carros de boi estava ficando cada vez mais extinta, então ele pediu pra gente conservar essa história, que agora estará disponível para toda a população e também para os visitantes”.
ok2
Peças construídas ou utilizadas por Quim Costa expostas no Museu. Foto: Rafaella Teixeira/Acontece São Bento
Os carros de boi desempenharam um papel muito importante na cidade por muitos anos e eram usados nos carnavais, nos casamentos e para transportar encomendas para a cidade, como o sino da Igreja Matriz, que veio de Ubatuba até São Bento do Sapucaí através de um carro de boi.
Além do coquetel de inauguração, no sábado, dia 29, às 14h, haverá um desfile de carros de boi pelas ruas da cidade, que será encerrado no Museu com um café e muita prosa. Ambos eventos são gratuitos e abertos ao público.
Para saber mais sobre o Museu do Carro de Boi Quim Costa."*
*Matéria disponível em: http://acontecesaobento.com.br/blog/2016/10/19/museu-do-carro-de-boi-sera-inaugurado-na-proxima-semana/. Acessado em 20/10/2016.
Acesse um dos links abaixo e conheça algumas de  nossas obras:

Livraria AMAZON

Os carros de boi irão cantar no Desfile de Carro de Boi em São Bento do Sapucaí - SP

Acesse um dos links abaixo e conheça algumas de  nossas obras:

Livraria AMAZON

19 de outubro de 2016

Histórias de Carreiros, de Rogério Corrêa

Texto do livro "Histórias de Carreiros", de Rogério Corrêa

Carreiro espertalhão

"Jovino Gonçalves Filho, 80 anos, descreveu que desde cedo o seu pai o obrigava
a lidar com os bois. Só que não gostava do cantar do carro e sim do canto dos pássaros. Mesmo assim tinha de ajudar seu pai. Algumas das vezes, como candeeiro, ele deixava a boiada se adiantar, e, depois, tinha de sair correndo atrás para alcançá-los.
Em alguns desses carretos, ele estava com muita fome e queria chegar logo em casa para almoçar ou jantar. Então, o jeito era apertar o passo para chegar rápido. Enquanto isso, pai dele pedia para andar mais devagar, principalmente nas descidas. Mas, a fome era tanta, que ele passara a pensar só com a barriga, e, evitava diminuir o passo. Algumas vezes, sua atitude fazia com que o carro tombasse.
Inúmeras vezes a roda subiu no barranco ou em pedras grandes e tombou. Só que em vez de chegar cedo, tinha que desvirar o carro, arrumar a esteira e colocar o milho bem arrumado novamente. Sua vontade de chegar quase sempre os fazia demorar e passar mais fome.
— Etâ tempo custoso e trabalheira! — suspira seu Jovino.
Ele diz que gosta de ver os carros, só que carrear, de jeito nenhum! Se recorda de os seus tios mais velhos contarem das longas viagens que eles faziam para buscar sal, querosene ou outro produto industrializado. Às vezes, eles demoravam meses para ir e voltar de cidades longe, principalmente, em época de chuva, que fazia com que quebrassem mais as tralhas da boiada, e as arreatas arrebentavam muito.
Mesmo levando bastante tralha de reserva, tinham que improvisar com o facão e machado, porque quebravam demais.
Algumas vezes tinham de esperar dias até a chuva diminuir um pouco para seguirem viagem ou passar em riachos cheios.
Outro grande sofrimento para eles com o excesso de chuva, dizia respeito à tampa da carga do carro, pois ela era de toldos de couro, e a chuva fazia com que eles pegassem bichos até furar.

— Difícil! — Ele novamente suspira, como a voltar no tempo, e concluiu: — Hoje tudo é muito fácil." 

Para continuar lendo, acesse um dos links abaixo:

Livraria AMAZON

11 de outubro de 2016

Encontro de Carros de Boi de Córrego Fundo - MG

"O evento é uma das atividades que serão promovidas em comemoração ao aniversário de 21 anos do município, celebrado neste mês
Está marcado para o próximo sábado, dia 15 de outubro, o 3º Encontro de Carros de Boi de Córrego Fundo. O evento, que, ocorrerá na Quadra Mineirinhos, contará com barraquinhas com comidas típicas da cidade, e haverá também um show de Luciano & Lucimar para os participantes e apreciadores da tradição dos Carros de Boi.
O encontro será iniciado com um desfile dos carros de boi, que partirá às 10 horas da Fazenda do Patrício, na estrada de acesso à comunidade rural de Falhas, no Trevo da MG-050 (entrada da Cal Cruzeiro).
O trajeto seguirá para a cidade, subindo a LMG-830. Em seguida, os carros de boi irão rumo à Quadra Mineirinhos, anexa à Escola Municipal Tereza Maria de Faria Vaz, onde às 14 horas, haverá show artístico e barraquinhas.
Para os responsáveis pela preparação do evento, o chefe do departamento de Agricultura Neurimar José Pinto, e o técnico da EMATER (Empresa de Assistência Técnica e Extensão Rural) no município, Marcos Roberto Souza, bem como o produtor rural Nelson Corrêa Pimenta, de Falhas, a realização do 3º Encontro está sendo aprimorada a cada ano, para manter a tradição e fortalecer a cultura de Córrego Fundo.
O evento é uma das atividades que serão promovidas em comemoração ao aniversário de 21 anos do município, celebrado no dia 23 de outubro."*
*Informações disponibilizadas por:  http://corregofundo.mg.gov.br/noticias/item/997-3-encontro-de-carros-de-boi-sera-no-proximo-sabado-dia-15.
Acesse um dos links abaixo e conheça algumas de  nossas obras:

Livraria AMAZON


23 de setembro de 2016

O Dia Municipal do Carro de Boi em Santa Isabel - SP

"Visando a preservação das raízes culturais mais profundas e objetivando a fomentação do turismo através de uma identificação nata de Santa Isabel, a Câmara Municipal aprovou por unanimidade na última Sessão Ordinária, o Projeto de Lei de autoria do vereador Clebão do Posto (PR), instituindo anualmente no primeiro domingo do mês de julho o “Dia Municipal do Carro de Boi”.
Na justificativa do projeto Clebão apresentou em tribuna o estudo histórico com relação à cultura do Carro de Boi que acompanha o isabelense desde o início da existência da cidade, sua importância no desenvolvimento como cidade rota de carreiros de bois e transportadores de mercadorias rurais vindas do Sul de Minas e Vale do Paraíba rumo a Capital Paulista, a presença ainda forte dos carros de bois na vida ruralista e nos desfiles típicos sertanejos do município: “Santa Isabel precisa desenvolver uma identidade turística e preservar suas culturas mais fortes, não vejo fator mais marcante que o Carro de Boi e a comunidade sertaneja na história da cidade, hoje ainda podem-se ver em pleno centro de Santa Isabel, em pleno dia de semana, um carreiro de boi com sua junta (conjunto de bois) puxando o carro e fazendo o cantar típico do transporte todo desenvolvido em madeira. Essa cultura merece ser eternizada e incentivada, junto a nossas crianças e turistas, com a instituição desta data homenagem”.
Clebão explicou que a comemoração se dará ao primeiro domingo do mês de julho, que será o dia mais próximo ao aniversario de Santa Isabel— dia 8 de julho, onde costumam realizar o rodeio comemorativo à cidade, os desfiles de cavalos e carros de bois. “Nada mais justo que todos os prefeitos, agora por força de lei, exaltem e valorizem essa linda cultura realizando eventos comemorativos ao dia, atraindo turistas, aquecendo o comércio e trazendo inúmeros benefícios para a cidade”, ressaltou.
O apoio ao projeto do colega foi manifestado em tribuna. O vereador Orlando Paixão (PT) declarou que possivelmente com esse projeto já será definida a identidade cultural do município. Teresinha Arquiteta (PV) parabenizou Cléber, declarou ser apaixonada pelo Turismo, e demonstrou sua paixão pelos desfiles de carros de boi. “Meus tios, anos atrás, gastavam de sete a dez dias no trajeto de Aparecida até Santa Isabel, tocando boiada em cima de um carro de boi. Tenho essa lembrança como uma importante herança de família”, disse.
SR. DONIZETE EUGÊNIO DIAS: O vereador Cléber, aproveitou a oportunidade da criação do projeto para visitar o Sr. Donizete, figura célebre do município, artesão que fabrica miniaturas de animais em madeira, onde seu carro chefe é o carrinho de boi.
“Vim para cidade em 1967, trabalhei dois anos na antiga Karibê, desde então faço do meu artesanato minha fonte de renda. Vendo minhas peças para grande São Paulo, região de Sorocaba. Fico muito feliz e grato com a instituição do dia do carro de boi”, agradeceu. 
O vereador republicano parabenizou o trabalho de Sêo Donizete, agradeceu o carinho e trabalho de tantos anos dedicado ao artesanato. “Ele é o precursor de um objeto que é a identidade cultural do município, temos que valorizar isso enquanto é tempo”, explanou.
O Projeto aprovado agora vai para sanção do prefeito municipal e entrará em vigor assim que publicado, podendo ser comemorado a partir de 2017."*
Acesse um dos links abaixo e conheça algumas de  nossas obras:



25 de agosto de 2016

Encontro de Carros de Boi em Nazareno - MG

"Nazareno, situada a 48 km de São João del-Rei, será cenário do 2° Encontro de Carros de Boi. O evento, que acontece entre os dias 27 e 28 de agosto, atrai carreiros e admiradores de toda a região.

As estradas de terra deram lugar ao asfalto, e a tradição do carro de boi foi ficando ultrapassada. “Considero o encontro interessante, porque uma tradição está sendo recuperada. Antigamente, com os carros de boi, os homens sustentavam a família, carregando areia, lenhas, tijolos para vender na cidade. Espero que este ano haja mais participantes para manter essa cultura viva”, declara a nazarenense Isadora Ferreira.
De acordo com a secretária de cultura Betânia Oliveira, em 2015, 26 carros participaram do evento. Neste ano, a expectativa é que esse número dobre. Lavras, São Sebastião da Vitória, São Tiago, Passatempo, Conceição da Barra de Minas, Itutinga e Macuco já confirmaram presença. Uma novidade nesta edição do encontro é a celebração da Santa Missa em frente ao Santuário de Nossa Senhora de Nazaré.
A programação do evento conta com o Forró de Encerramento da Colheita do Café e show com o cantor Zé Vigilato, no sábado, 27, na praça José Rocha. No domingo, 28, a concentração do cortejo começa às 10h, no Parque de Exposição José Vespasiano de Abreu. Os carros de boi desfilam pelas principais ruas da cidade. “A ideia é valorizar o homem do campo. Haverá café da manhã e, após o desfile, o almoço”, enfatiza Betânia Oliveira."*
*Informações disponibilizadas em: http://www.barbacenamais.com.br/index.php/cotidiano/20-minas/5975-encontro-de-carros-de-boi-em-nazareno-resgata-tradicao. Acesso: 25/08/16.

16 de agosto de 2016

Histórias de Carreiros, de Rogério Corrêa

Trecho do livro "Histórias de Carreiros: 
  
Carreiro espertalhão
 
Jovino Gonçalves Filho, 80 anos, descreveu que desde cedo o seu pai o 
obrigava a lidar com os bois. Só que não gostava do cantar do carro e sim do canto dos pássaros. Mesmo assim tinha de ajudar seu pai. Algumas das vezes, como candeeiro, ele deixava a boiada se adiantar, e, depois, tinha de sair correndo atrás para alcançá-los.
Em alguns desses carretos, ele estava com muita fome e queria chegar logo em casa para almoçar ou jantar. Então, o jeito era apertar o passo para chegar rápido. Enquanto isso, pai dele pedia para andar mais devagar, principalmente nas descidas. Mas, a fome era tanta, que ele passara a pensar só com a barriga, e, evitava diminuir o passo. Algumas vezes, sua atitude fazia com que o carro tombasse.

Inúmeras vezes a roda subiu no barranco ou em pedras grandes e tombou. Só que em vez de chegar cedo, tinha que desvirar o carro, arrumar a esteira e colocar o milho bem arrumado novamente. Sua vontade de chegar quase sempre os fazia demorar e passar mais fome.

— Etâ tempo custoso e trabalheira! — suspira seu Jovino.

Ele diz que gosta de ver os carros, só que carrear, de jeito nenhum! Se recorda de os seus tios mais velhos contarem das longas viagens que eles faziam para buscar sal, querosene ou outro produto industrializado. Às vezes, eles demoravam meses para ir e voltar de cidades longe, principalmente, em época de chuva, que fazia com que quebrassem mais as tralhas da boiada, e as arreatas arrebentavam muito.

Mesmo levando bastante tralha de reserva, tinham que improvisar com o facão e machado, porque quebravam demais.

Algumas vezes tinham de esperar dias até a chuva diminuir um pouco para seguirem viagem ou passar em riachos cheios.

Outro grande sofrimento para eles com o excesso de chuva, dizia respeito à tampa da carga do carro, pois ela era de toldos de couro, e a chuva fazia com que eles pegassem bichos até furar.

— Difícil! — Ele novamente suspira, como a voltar no tempo, e concluiu: — Hoje tudo é muito fácil.
 
Para continuar lendo acesse um dos links abaixo:

Livraria AMAZON



27 de julho de 2016

HISTÓRIAS DE CARREIROS, um livro surpreeendente!

HISTÓRIAS DE CARREIROS, de Rogério Corrêa


Sinopse do livro: Com a evolução tecnológica, gradativamente os carros de
boi foram substituídos por meios de transportes modernos. Hoje são raros os fazendeiros que os utilizam no dia a dia em suas fazendas e consequentemente as histórias e a rica tradição dos carreiros estão desaparecendo. No livro Histórias de carreiros, o filósofo Rogério Corrêa fez uma longa pesquisa junto aos carreiros, candeeiros e sertanejos para resgatar algumas das histórias, causos e crendices, no intuito de passá-las adiante para que futuras gerações tenham a oportunidade de conhecê-las também. Histórias de Carreiros tem a capacidade de povoar o imaginário do leitor com as diversas situações vivenciadas pelos contadores, e fazer pensar no quanto as vidas deles eram sofridas, simples, e, ao mesmo tempo, instigantes.

Inicialmente Histórias de Carreiros foi lançado na versão digital.

Acesse umas das livrarias abaixo: